Sobre autismo e comportamentos difíceis

Quem tem um filho com autismo, uma hora ou outra irá passar por aquela situação constrangedora de um comportamento inadequado se desenrolando no chão do supermercado ou na sala de espera do consultório médico.

O autismo pode ser a razão para alguns comportamentos que, muitas vezes, representam um pedido de ajuda!

Alguns dias é mais fácil lidar com um mundo imprevisível de sensações. Outros dias, não é tão fácil assim… Então surgem os “maus” comportamentos, que nada mais são do que a exteriorização do acúmulo de sensações dos dias difíceis.

COMPREENDENDO OS MOTIVOS

Chorar intensamente, gritar, isolar-se ou ficar agressivo são alguns exemplos de comportamentos que acontecem aparentemente sem motivo, mas que na verdade precisam de uma análise criteriosa de sua causa.

Sempre há um motivo, ou ao menos um gatilho. Pode acontecer da criança já estar com um acúmulo de sensações ruins e basta que uma coisinha saia do eixo para que ela apresente um baita comportamento explosivo.

Alguns exemplos de situações gatilho:

  • excesso de sensações;
  • mudança repentina;
  • barulho intenso e inesperado;
  • medo ou ansiedade;
  • fobia social;
  • frustração;
  • contrariedade;
  • lembrança de algo ruim.

COMO AMENIZAR OS COMPORTAMENTOS DIFÍCEIS?

Aqui estão algumas estratégias que ajudam a acalmar:

  • diminuir os estímulos sensoriais (procurar um lugar escuro e silencioso);
  • pular na cama elástica;
  • correr;
  • usar um cobertor pesado;
  • balançar;
  • estourar plástico bolha;
  • ouvir música.

Essas estratégias funcionam de forma diferente em cada criança. Nem sempre o que resolve para uma, irá também ser a solução da outra. É necessário conhecê-la e testar aquilo que lhe serve melhor.

É muito importante manter a calma e não gritar com a criança. Procure falar mais baixo e o mínimo possível. Nunca deixe a criança de castigo! Lembre-se que esses comportamentos não acontecem voluntariamente.

Quando a criança estiver mais calma, certifique-se de que ela esteja completamente recuperada antes de colocar mais demandas sobre ela, para que não haja uma sobrecarga novamente.

OFERECENDO PREVISIBILIDADE

Ter uma rotina estruturada, que antecipe os acontecimentos, é a melhor forma de ajudar uma criança com autismo. Cá entre nós, todo mundo fica mais confortável quando sabe o que esperar, não é mesmo?

Essa previsibilidade pode ser oferecida através de imagens/fotos ou de histórias sociais. A forma de preparação varia de acordo com o tipo de evento a ser antecipado: alguns são mais simples, mas outros (maiores) precisam ser mais bem elaborados.

Quando se trata de uma mudança imediata, como ir embora de um parquinho ou largar um brinquedo, por exemplo, use algo que antecipe os minutos. Algo como um relógio ou cronômetro, aquilo que a criança compreenda melhor. Avise antecipadamente a mudança ou saída em 15, 10 e 5 minutos.

 

O autismo pode ser a causa de muitos comportamentos considerados socialmente inadequados, que na verdade só precisam de compreensão e da nossa ajuda!

Por Amanda Puly

 

Veja também:

Autismo: Como ajudar em uma crise nervosa (meltdown)

Artigos Relacionados

1 Comentário

  • Posted 17 days ago

    lilian fernanda dos santos

    quero receber infos diversas

Responder