Concentre-se em seu filho, não na deficiência

Quando um filho recebe um diagnóstico, esteja ele ainda na barriga ou já crescidinho, os pensamentos dos pais costumam em algum momento se perder.

O foco principal pode estar em terapias, terapias, terapias – dar a ele todas as oportunidades para ser o melhor que puder ser. Talvez nesse momento estejamos esquecendo que essa pequena criança só quer mesmo é ser criança…

Nenhuma criança merece ser vista como um conjunto de sintomas. Aprender a reconhecer oportunidades ao invés de concentrar-se em “déficits” é crucial! Se quisermos que nossos filhos sejam felizes, precisamos entender que só existe uma forma: fazendo-os acreditar em si mesmos.

Quando nos concentramos em algo, é esse ‘algo’ que ganhará destaque. Focar em transtornos, dificuldades e maus comportamentos é uma forma de deixá-los em evidência. Considere sempre os pontos fortes da criança, ensine-a a acreditar em si mesma. Encoraje-a!

Uma boa forma de exercitar isso é pensar diferente, enxergar por outro ângulo. Tente evidenciar somente as coisas boas que a criança faz e escrevê-las em uma lista, como em um diário. Faça isso durante alguns dias e já verá uma mudança em seu comportamento. Faça durante um mês e surpreenda-se. Logo essa nova visão irá tornar-se um hábito.

Isso acontece porque quando nos concentramos a reconhecer e encorajar aspectos positivos, eles aumentam, fazendo diminuir os negativos. É claro que se fizermos o oposto (que costuma ser o habitual), pontos negativos aumentam cada vez mais.

Encorajar não é necessariamente elogiar, mas é dar à criança o voto de confiança, dizer “eu acredito em você”, deixá-la tentar. A criança que cresce sendo encorajada, torna-se um adulto confiante, seguro, independente. É isso que queremos, não?

O trabalho de uma criança é errar e aprender. O seu é fazê-la sentir-se capaz e competente todos os dias!

Permita-se fazer tudo o que for possível para apreciar seu filho em todos as fases da vida, ao invés de estar constantemente tentando tirá-lo de sua realidade.

Lute por um futuro melhor, mas não esqueça de aproveitar o agora, aquilo que está bem diante de você!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Responder