5 brincadeiras simples com efeito altamente terapêutico

“A brincadeira é considerada uma pausa do aprendizado sério. Mas, para as crianças, brincar é um aprendizado sério.”

Mr. Rogers

As crianças usam as brincadeiras para aprender e treinar suas habilidades sociais, motoras e cognitivas. Aprendem a brincar através da observação daquilo que outras crianças ou adultos fazem com os brinquedos. Dessa forma, desenvolvem competências importantes como partilhar, cooperar, esperar a vez, enfrentar problemas e até controlar as emoções.

Perdemos tanto tempo preocupados com a quantidade de atividades que nossos filhos precisam fazer, que acabamos esquecendo da importância de deixá-los brincar livremente!

Atividades divertidas podem ser uma maneira altamente promissora de aprendizado. Pensando nisso, aqui deixamos 5 brincadeiras simples, mas com alto efeito terapêutico:

1. Bloquinhos de montar (lego)

Quase todo mundo já brincou de lego, ao menos uma vez na vida. Funciona para qualquer idade (até para os adultos). Permite brincar sozinho ou entre amigos. Infinitas são as possibilidades! Mesmo para crianças com a criatividade limitada, as ideias vão surgindo à medida que as pecinhas se encaixam. É possível passar horas brincando sem ver o tempo passar!

2. Natureza

Balançar em galhos, saltar entre pedras, tornar-se um cientista… A brincadeira ao ar livre possibilita conhecer melhor a natureza, respirar ar puro e testar os próprios limites. Permita que a criança suba em árvores, pule de lugares altos, experimente. Dessa forma ela aprende a lidar com o medo e tem a sensação de que possui o controle da sua própria vida. Aproveite para fazer um piquenique, andar descalço e relaxar!

3. Corrida de obstáculos

Construa uma pista com vários obstáculos, como pneus, banquinhos, almofadas, cordas, etc. Não precisa ser necessariamente uma competição, mas deixe que as crianças se desloquem entre os obstáculos usando a imaginação. Elas podem subir, explorar, mudar as coisas de lugar, criar livremente. Contenha sua vontade de proteger a criança a todo instante, pois assim ela adquire maior responsabilidade e aprimora suas habilidades motoras.

4. O que tem na caixa?

Essa brincadeira consiste em pegar uma caixa que não seja transparente e colocar objetos dentro para que a criança adivinhe apenas usando o tato. Se ela permitir, pode-se vendar seus olhos. É interessante explorar objetos com texturas e formas diferentes. Permite que a criança brinque com os pais ou entre amigos, em qualquer idade. Além de contribuir nas habilidades cognitivas, essa brincadeira também contribui na modulação sensorial.

5. Invenções com sucata

Potinhos de iogurte, rolinhos de papel higiênico, retalhos de tecido, tampinhas de garrafa… Tudo pode ser reutilizado! Guarde este tipo de material, junte tintas, cola, canetinhas, tesoura… e coloque a criatividade para funcionar! No início, você pode mostrar algumas ideias para a criança, mas o ideal é que ela aos poucos consiga criar sozinha. Além de desenvolver criatividade e o senso de resolução de problemas, ensina também sobre a consciência ambiental.

Quanto menos os adultos precisarem interferir na brincadeira, melhor. Mesmo quando o grupo de crianças incluir aquelas das quais gostaríamos de proteger nossos filhos, lembre-se que ali que eles aprenderão a desenvolver o autocontrole, as habilidades de negociação e o pensamento voltado para a solução de problemas, que serão competências importantes em sua vida adulta. E lembre-se que quanto mais oportunidades tiverem de brincar, mais sociáveis e resilientes serão!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Responder