Nem mal educados, nem desobedientes – apenas cérebros em formação

Birras, batalhas em torno do dever de casa, disputas de poder… Às vezes parece que as crianças conspiram para enlouquecer os pais!

A verdade é que as crianças se comportam dessa forma porque estão em um estado contínuo de descoberta e conhecimento pessoal. Isso significa que elas assumirão o risco de infringir regras, desafiar as autoridades e transgredir os limites para o bem do seu próprio desenvolvimento cognitivo. São apenas cérebros em desenvolvimento, tentando formar sua personalidade.

Quando definimos limites de maneira respeitosa e quando entendemos que as atitudes desafiadoras fazem parte da educação, os “maus comportamentos” se convertem em oportunidades de despertar o pensamento crítico das crianças.

O problema não é o comportamento inadequado da criança. O problema é quando nós adultos não conseguimos controlar as nossas emoções e reagimos com desrespeito. Todo erro deve ser corrigido, mas com o respeito que todos os seres humanos merecem. Como qualquer pessoa. Como você, como eu, como seu chefe ou seu vizinho.

Ajude seu filho a compreender as razões que o levaram a tais atitudes, para juntos buscarem alternativas de mudança. Faça isso como uma conduta de apoio e não de raiva ou vingança. Mesmo quando estiver decepcionado, continue a dar apoio.

Antes de intervir aos comportamentos da criança, lembre-se de quais são os seus objetivos. Se meu objetivo é que ela cresça com confiança e autoestima, não posso agarrá-la a força, dizendo palavras rudes, e simplesmente colocá-la de castigo. Lembre-se que não só os gritos podem ferir. A falta de ternura também dói. E não existe educação sem ternura!

Por Amanda Puly

 

Veja também:

5 grandes motivos para não gritar com seus filhos

Artigos Relacionados

Quando os filhos voam…

Quando os filhos voam…

Eu queria ter uma máquina do tempo para voltar na época em que meu primeiro filho era pequeno. Na verdade não sei explicar como ele pôde crescer tão rápido… Mas queria poder desfrutar de suas mãozinhas gordinhas novamente, vê-lo amar tomar...

Responder