Que lembranças meus filhos terão de mim?

Pense em seus filhos. Traga seus rostinhos em sua mente agora. Então pergunte a si mesmo: que lembranças eu quero que tenham de mim quando forem adultos?

Eu sei que a maior parte do tempo estamos preocupados que comam direito, que façam suas lições de casa e que deixem seus quartos arrumadinhos. Mas vamos tentar não nos perder em coisas sem importância! Todo o resto pode esperar, pois a infância acontece agora. O tempo passa depressa, por isso use cada segundo com sabedoria!

Quero que se lembrem do tempo que dediquei-lhes atenção, de tudo que abdiquei para poder estar mais presente, das horas que passamos brincamos sentados no chão e do quanto rimos juntos.

Quero que se lembrem do quando eu fui um porto seguro, nas noites depois do pesadelo, nos dias de tempestade e protegendo de todos os perigos lá de fora.

Quero que se lembrem do respeito. O respeito com que eu os tratei, o respeito com que todos nos tratamos em casa, o respeito que aprendemos a tratar pessoas que cruzam nosso caminho, até aquelas nem conhecemos.

Quero que se lembrem do quanto foram encorajados, de quantas vezes eu disse que seriam capazes, do quanto trabalhei para que sua autoestima e identidade fossem construídos na base da confiança e do amor.

Quero que se lembrem dos domingos em família, das vezes que cozinhei suas comidas preferidas, das noites que dormiram na minha cama, de todas as histórias e conversas que dividimos antes de dormir.

Quero que se lembrem de ter fé, da priorizarem a honestidade, de não perderem a crença nas pessoas, de que devem também fazer sua parte para que o mundo seja um lugar melhor.

É claro que eles se lembrarão das broncas, dos ‘nãos’, da pressa, das vezes em que perdi a paciência. Mas  quero que se lembrem de todo o amor que estava por trás disso tudo.

Enquanto o amanhã não chega, que saibamos aproveitar os momentos com sabedoria e criar as melhores lembranças…

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Quando os filhos voam…

Quando os filhos voam…

Eu queria ter uma máquina do tempo para voltar na época em que meu primeiro filho era pequeno. Na verdade não sei explicar como ele pôde crescer tão rápido… Mas queria poder desfrutar de suas mãozinhas gordinhas novamente, vê-lo amar tomar...

Responder