Aluno com autismo: 10 dicas úteis para professores

Um professor dedicado pode transformar a vida de uma criança. O aluno com autismo, em especial, precisa de uma dose extra dessa dedicação. Precisa de um professor paciente e amoroso, que lhe ofereça apoio e segurança.

Aqui vão 10 dicas que podem ajudar a entender algumas peculiaridades da criança dentro do espectro!

  1. Cada criança com autismo é única. Isso quer dizer que, apesar das características em comum, você encontrará crianças muito diferentes. Algumas serão verbais, outras nunca irão falar. Algumas podem apresentar habilidades para leitura, música ou matemática, mas outras terão dificuldades para aprender e precisarão de mais dedicação e paciência. Inclusive, uma mesma criança pode mover-se dentro do espectro, ou seja, apresentar-se de uma forma no início do ano e de outra bem diferente ao final.
  2. Todas são capazes de aprender. É preciso apresentar o conteúdo de várias formas diferentes, até encontrar uma que a criança consiga compreender. Cada uma tem pontos seus pontos fortes e suas dificuldades, então é preciso conhecer cada uma em sua individualidade. O método de ensino que será usado deve se encaixar nos pontos fortes desse aluno.
  3. Crianças com autismo geralmente apresentam problemas sensoriais. Podem ter dificuldades para sentir frio ou calor, manifestar dor ou comunicar outras sensações que estejam lhe incomodando. Logo, ambientes tumultuados, poluição visual, muitas crianças falando ao mesmo tempo, ou até mesmo lâmpadas piscando, podem gerar desconforto e ansiedade. O acúmulo de sensações ruins pode levar a uma crise nervosa.
  4. Rotina e previsibilidade são essenciais. Mantenha um rotina diária e deixe-a visível em sala de aula. É uma medida simples, mas muito importante. Mudanças na rotina (como datas comemorativas ou outros eventos) também devem ser trabalhados com antecedência, deixando a criança mais segura e confortável.
  5. A maioria das crianças dentro do espectro possuem um interesse especial. O professor pode usar o tema de interesse para se aproximar e motivar o aprendizado de novos assuntos.
  6. A comunicação costuma ser um dos pontos fracos para estas crianças. Utilizar recursos visuais é a melhor forma de comunicar. Além disso, usar linguagem clara e objetiva no dia a dia também ajuda bastante. Tenha o cuidado de sempre chamar seu nome antes de dar alguma ordem, para ter certeza de que ela está atenta.
  7. Alguns sinais sociais podem ser difíceis de ser interpretados. Compreender regras, esperar a vez, esperar o outro falar, manter-se sentada, são alguns exemplos de situações que devem ser trabalhadas pontual e individualmente com a criança.
  8. Prefira usar menos a palavra ‘não‘ e ser mais assertivo ao que a criança deve fazer. Por exemplo: ao invés de dizer ‘não fique em pé‘, prefira ‘sente-se em sua carteira‘. É a mesma mensagem que está sendo passada, mas da forma que criança compreende melhor. O ‘não‘ abre muitas possibilidades.
  9. Atenção ao bullying! Outras crianças podem achar diferente o modo da criança autista falar, se movimentar, fazer estereotipias, ser repetitivo… é muito importante estar atento para que não se torne alvo de piadas e discriminações.
  10. Como todas as outras crianças, o aluno que tem autismo precisa de apoio e incentivo. Precisa sentir que confiam nele e acreditam em seu potencial.

A inclusão escolar não depende só do professor, vai muito além. Mas ele tem um papel fundamental para que a criança se desenvolva não apenas cno âmbito escolar, mas também socialmente. Ele pode ser o agente transformador que este aluno tanto precisa!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

6 Comentários

  • Posted 15 de Fevruary de 2017

    Ieda Araújo Chaves

    Parabéns gostei do artigo é esclarecedor.🤗

  • Posted 15 de Fevruary de 2017

    Valmir

    Muito bom artigo. Parabéns.

  • Posted 19 de Fevruary de 2017

    Andréa Z. R. Mello

    parabéns,pelo artigo.Por um acaso vc não tem um artigo relacionado a educação infantil,atividades…

    • Posted 19 de Fevruary de 2017
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Olá Andrea! Obrigada! Sobre sugestões de atividades você diz? Tenho poucas coisas escritas diretamente para professores, a maior parte do conteúdo é voltada à família, mas vou aceitar a sugestão! Beijos

Responder