O autismo mudará sua vida, da forma que você permitir…

Três anos atrás a palavra autismo não fazia parte da minha vida. Sequer sabia exatamente o que significava. No meu mundo isso não existia, era só mais um problema que as outras pessoas tinham que lidar. Então meu filho foi diagnosticado. Tirou um pouco meu chão, minhas palavras, meu equilíbrio.

Os dias se tornaram confusos. Mas algumas coisas começariam a ganhar explicação. E eu decidi olhar o autismo com outra perspectiva, outro olhar. Não como um problema. Percebi que meu filho era o mesmo, que não tinha mudado.

Tanta coisa aconteceu nestes últimos três anos… Tenho crescido e me tornado mais forte do que jamais pensei que poderia ser. Aprendi a confiar nos meus instintos. Aprendi a aceitar coisas que não posso mudar.

Aprendi e aceitei que meu filho não brinca como as outras crianças, não aprende como elas, não fala como elas, nem tem os mesmos gostos que as crianças da sua idade. E quando eu presto bem atenção, vejo o quando o seu jeito e a sua percepção são fascinantes.

Já aprendi que não vou conseguir mudá-lo, que ele não irá comer ou vestir-se da maneira que eu acho que deveria. Ele é um seguidor de regras e rotinas, mas é brilhante, talentoso e engraçado.

O que eu aprendi sobre o autismo não está no Google, no consultório dos terapeutas ou em qualquer livro. O tempo com meu filho me ensinou muito mais. Ele está bem na minha frente, todos os dias convivendo comigo. E é com isso que eu aprendo!

Nossos filhos são extraordinários. Celebre a individualidade, não a critique. Celebre os sucessos, não dê ênfase aos fracassos.

É necessário duvidar para então aceitar. Preocupar-se para então apreciar. Entender antes de defender. A dor vem antes do amor, não tem jeito. E a mudança dependerá apenas da perspectiva do seu olhar.

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

3 Comentários

  • Posted 3 de November de 2016

    Tânia

    Nossa vivo o mesmo caso meu filho mais velho 11 anos tdah e o mais novo 8 anos autista, é um mundo cheio de descobertas, as vezes estressantes mas em suma sou muito feliz e grata

  • Posted 22 de November de 2016

    Katiene Macêdo de Sousa Cardoso

    Que texto maravilhoso, obrigada por compartilhar conosco suas experiências e nos ajudar. Estou em processo de diagnóstico e vivenciando exatamente esse período. Muito reconfortante ler textos como o seu. Obrigada.

    • Posted 22 de November de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Obrigada Katiene! Sei que outras famílias precisam deste tipo de informação, por isso continuo a compartilhar. Seja bem vida aqui no site e saiba que você passará por muitos momentos difíceis nessa caminhada, mas é importante manter a positividade! Um beijo!

Responder