8 mitos sobre o autismo (e a verdade por trás deles)

Pessoas com autismo são muitas vezes mal compreendidas. Essa falta de compreensão resulta de algumas informações equivocadas que se espalharam a respeito deste assunto. Com o aumento no número de diagnósticos, aumentaram também as informações disponíveis sobre o autismo. Mas também aumentou o conjunto de mitos. Vamos esclarecer?

1. Todos as pessoas com autismo possuem altas habilidades.

Algumas pessoas com autismo possuem altas habilidades, mas a maioria não. É comum os pais de autistas ouvirem a pergunta Qual habilidade especial ele tem?, e acabarem cansados e frustrados por terem de explicar tantas vezes que seu filho não tem nenhuma super habilidade.

2. Pessoas com autismo não gostam de carinho.

A falta de habilidade social aliada às dificuldades no processamento sensorial (principalmente ligadas ao toque) faz parecer que pessoas com autismo não gostam de proximidade e atenção. Gostam sim! Têm necessidade de ser amadas, notadas, compreendidas. E todo esse apego contribui para seu desenvolvimento afetivo.

3. Pessoas com autismo não gostam de ter amigos.

Socializar não é nada fácil. Pode ser difícil dar o primeiro passo (e o segundo também) para que as amizades aconteçam. Pessoas com autismo podem não viver rodeadas de amigos, mas apreciam muito amizades que as compreendam e as aceitem como são.

4. Pessoas com autismo não têm empatia.

A pessoa que tem autismo nasce sem a habilidade de compreender o outro, compreender o ponto de vista do outro. Mas isso não significa que ela não possa aprender. Uma criança com autismo não vai aprender habilidades sociais simplesmente observando as demais pessoas, como acontece às crianças neurotípicas. Há muitas coisas que crianças com autismo não sabem fazer, apenas até que sejam ensinadas.

5. Gritar ou se jogar no chão devem ser tratados como birra.

É necessário ver o contexto, a situação em que a criança está. A crise nervosa, também conhecida como colapso ou meltdown, acontece quando há um acúmulo de sensações ruins na criança, uma grande frustração, um grau de estresse muito alto, ou ainda, tudo isso junto. Não pode ser confundido com birra, a criança não tem controle sobre ela! Muitas vezes ela não sabe identificar o que gerou ou sequer se lembra o que aconteceu.

6. O autismo é causado pela falta de carinho dos pais.

Essa é velha, mas acredite, ainda tem gente dizendo isso por aí. O conceito “mãe geladeira” que era antes atribuído às mães de crianças com autismo já caiu por terra há muito tempo! Já sabe-se cientificamente que a criação da criança não tem nenhuma relação com a causa do autismo, que é geralmente genética.

7. Autistas têm um mundo próprio, não percebem o que acontece ao seu redor.

As principais características do autismo estão relacionadas à dificuldade em se comunicar e em socializar. Mas isso não significa que vivam em um mundo imaginário! Pessoas com autismo entendem tudo que acontece ao seu redor, mesmo quando parecem não estar prestando atenção.

8. Uma criança pode deixar de ser autista se receber o tratamento adequado.

O autismo não tem cura, mas muitos de seus sintomas podem desaparecer com a ajuda de terapia e pais bem engajados. Porém, será uma condição que o acompanhará por toda sua vida.

O autismo não é uma escolha! As dificuldades de comunicação, os problemas alimentares, os transtornos sensoriais, a falta de tato social e ansiedade não são escolhas. Não critique nem julgue sem conhecer!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

2 Comentários

  • Posted 31 de Outober de 2016

    celia regina

    gostei muito desse artigo

  • Posted 13 de March de 2017

    M. de Lourdes Gomes Luciano

    Aprendi muito,mas sei que preciso de mais infrações.

Responder