6 regras para manter as crianças seguras online

Se seu filho já consegue navegar pela internet, é importante estar sempre remando ao seu lado ou ao menos observando de longe. A internet pode ser uma ótima fonte de informações, novas descobertas e estímulos educativos, mas também pode apresentar muitos riscos às crianças.

Muito daquilo que é atrativo é também perigoso. Crianças despreparadas têm sido alvos fáceis para pedófilos e outras pessoas mal intencionadas. Por isso aqui vão 7 regrinhas básicas para mantê-las em segurança enquanto navegam:

  1. Converse sobre isso. Discuta o que está sendo acessado e por quê. Defina regras claras sobre os acessos. À medida que a criança cresce, ela explora mais conteúdos. Consequentemente, ganha mais responsabilidades e precisa conversar mais sobre isso.
  2. Oriente sobre o que será publicado por ela. É importante dizer-lhe para não trocar informações pessoais, não postar os lugares onde vai, não aceitar convites de pessoas desconhecidas.
  3. Limite o uso. Permita que a criança tenha acesso por um limite diário, como meia hora após a escola, ou quando estiver com seus deveres cumpridos.
  4. Deixe o computador em local visível. A criança é menos propensa a buscar conteúdos inadequados se souber que adultos podem vê-la a qualquer momento. Isso ajuda a monitorar o tempo e o conteúdo que está sendo acessado.
  5. Acompanhe o histórico. Não se trata de invasão de privacidade. É importante ver quais sites estão sendo acessados, o que a criança publica nas redes sociais e com quem conversa também.
  6. Ensine sobre o pensamento crítico. Mesmo que seja uma pesquisa escolar, ajude a criança a pensar se o conteúdo é confiável, se é adequado, se tem procedência. Além disso alerte-a sobre anúncios, pop-ups, vírus e outros links indesejados.

São regras básicas. Parecem simples, mas esse cuidado é muito importante para que as crianças tirem o máximo de proveito do que a internet pode oferecer sem colocar em risco sua segurança.

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Responder