Como ensinar seu filho a mostrar respeito às pessoas com necessidades especiais?

Crianças são seres em constante busca por aprendizado e tudo que é diferente lhes desperta curiosidade.

Qualquer um que tenha filhos já foi pego de surpresa por algum comentário indiscreto sobre outras pessoas. Sem querer ofender, ser rudes ou preconceituosas, as crianças apontam e fazem suas perguntas ou observações ingenuamente. E nossa reação imediata é silenciá-las e tirá-las o mais rápido possível dessa situação.

Mas perceba que importante momento de aprendizado podemos estar privando nossos filhos! Aqui vão 4 passos para agir nessa situação, que substituem a vergonha por um grande aprendizado:

  1. Peça desculpas em nome do seu filho. Diga que é uma criança curiosa e que você sente muito se seu comentário foi rude.
  2. Apresente-se. Diga seu nome e nome do seu filho. Se tratar-se de uma criança, apresente-se à mãe dela, mas não ignore a criança. Toque em seu ombro e diga um “olá”, mesmo se não souber como ela se comunica.
  3. Trate crianças ou adultos com deficiência como pessoas, pois é isso que eles são. Se a criança respondeu seu “olá”, pergunte seu nome, quantos anos tem, sorria. Se ela não respondeu, você pode perguntar o nome dela a sua mãe (ou quem estiver a acompanhando).
  4. Converse com seu filho em particular. Aproveite a oportunidade para falar sobre diversidade, sobre deficiências, sobre superação, sobre respeito, sobre inclusão. Você pode não ter as palavras certas para explicar uma situação, mas mostre-se aberto e honesto em todo tipo de conversa. Dessa forma, seu filho se sentirá mais confiante e saberá que poderá conversar com você sobre qualquer assunto. Uma sugestão:

Todas as pessoas são únicas neste mundo. Não existem duas pessoas iguais. Algumas pessoas têm cabelo enrolado ou liso, outras podem nem ter cabelo. Alguns têm a pele rosada, alguns têm sardas, alguns são bem magros. Algumas pessoas gostam de ler, outras preferem jogar futebol ou cozinhar. Algumas pessoas não podem falar, então se comunicam com gestos. Alguns não podem andar, então utilizam cadeiras de rodas. Alguns enxergam de maneira diferente. Alguns cérebros funcionam de maneira diferente. Somos todos diferentes e é isso que torna o mundo um lugar especial. Do contrário, seríamos todos como formigas…

Ter um cérebro ou um corpo diferente não os impede de se divertir e ter amigos. E não há nenhuma razão para não aceitar pessoas que são diferentes. O melhor que podemos fazer é sorrir e mostrar que também podemos ser ótimos amigos!

Sempre que tiver a oportunidade, mostre a seu filho a diversidade. Aquela mãe que não deixou de levar seu filho ao zoológico, mesmo ele estando em cadeira de rodas. Ou aquele rapaz que não enxerga, mas mesmo assim consegue andar de ônibus sozinho. Todas as vivências são oportunidades de aprendizado!

Desculpar-se, sorrir, dizer “olá”, conversar abertamente sobre o assunto – essa é a melhor forma de lidar com a curiosidade das crianças. E ao mesmo tempo, dar a chance de novas amizades acontecerem!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Responder