Assumir a deficiência do filho nos faz mais felizes

Lembra aquela frase sempre repetida quando estamos na gestação: “o importante é que venha com saúde”? Pois bem , pode ser que não saia bem como o planejado… Esquecer a família que inicialmente foi idealizada e assumir a real condição dos filhos seria o primeiro passo. Muitas famílias não conseguem mudar sua maneira de pensar e insistem em manter o estereótipo da criança perfeita, que não precisa de acompanhamento especializado, nem de intervenções para se desenvolver.

É difícil acreditar que temos um filho diferente. Ainda me lembro quando outra mãe me disse: “Bem vinda às mamães especiais”, logo que eu recebi o diagnóstico do meu filho. Me pegou desprevenida, fiquei surpresa e sem palavras. Já foi difícil ouvir o diagnóstico no consultório médico, ouvir do resto do mundo é ainda mais complicado. Mas tudo bem, com o tempo a gente se acostuma.

A gente passa pelo medo, a dúvida, o “será mesmo?”, a culpa… E então a família PRECISA se abrir à nova etapa. Superar de alguma forma a tristeza para que novas portas sejam abertas. A mudança de atitude diante da incerteza é o marco inicial da mudança de vida. É o novo olhar para o futuro, gerando novas expectativas, novos sonhos.

Aceitar não é bem uma escolha. É só questão de tempo. O problema é que o tempo é precioso! Pode acabar com um relacionamento, por exemplo. Muitos casais não conseguem se adaptar a todas as mudanças e se separam logo após um diagnóstico. Além disso, em qualquer diagnóstico é fundamental iniciar as intervenções o quanto antes.

Para quem ainda almeja ser feliz, não basta aceitar. É necessário mudar o ponto de vista, manter a mente e o coração abertos. Talvez seu filho não consiga realizar coisas que outras crianças conseguem. Talvez ele se atrase. Pode demorar a aprender ou talvez nunca aprenda. Talvez ele precise de mais paciência e mais encorajamento. Talvez ele precise que você acredite mais. Você provavelmente terá que descobrir a melhor forma de ensinar. Aprenderá sobre o amor incondicional. Já sabe o que significa isso, amor incondicional? Mas será impossível alcançar a felicidade sem admitir e compreender as diferenças. Permita-se!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

19 Comentários

  • Posted 21 de July de 2016

    Eliane Carneiro

    Tenho um filho asperger diagnosticado com 8 anos hoje tem 16 sofreu bulling severos em escolas mas não desisto dele, pois devemos acreditar que eles são capazes!!!

    • Posted 21 de July de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Isso mesmo Eliane! Seja bem vinda por aqui! ❤🌷

  • Posted 24 de July de 2016

    eunice melgarejo vieira

    tenho uma filha hoje com 31 anos cadeirante nao anda ,o seu intelectual é muito excelente ,hoje esta acamada devido as dores cronicas . levamos uma vida tranquila me dedico à ela o tempo que tenho me privo de muita coisa ,mas estou bem assim

    • Posted 24 de July de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Parabéns pela sua luta, Eunice! Seja bem vinda por aqui! Um beijo

    • Posted 2 de Agoust de 2016

      Flavia Cristini

      Que lindo seu post! Muito sensível e com certeza vai ajudar muitas famílias.

  • Posted 28 de July de 2016

    antonia ivanete

    Acho que o primeiro passo é justamente a família aceitar. Tenho uma princesa de 05a. A.M.C. artrogripose. É minha filha/neta. E o maior orgulho das nossas vidas. É cadeirante. Super inteligente e talentosa. Canta,dança,ler,escreve e pinta quadros com a boca. Já fez duas exposições de quadros. Porém tudo isso graças tmb ao grande apoio dos que a cercam. Bjs

    • Posted 28 de July de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Que lindo seu depoimento, Antônia! Parabéns pela sua dedicação e olhar às qualidades dela! Fiquei curiosa em conhecê-la… Está convidada a dividir sua história aqui no Clube quando quiser! 🌷🤗

      • Posted 2 de Agoust de 2016

        Antonia Ivanete

        Meu face é antonia ivanet . E o instagram é Luísa_hage. Vc vai poder ver alguns videos dela e fotos. Se vc se interessar,pode divulgar. Se precisar de qualquer informação, me dê um toque. Nesse momento estou digitando e ela aqui do meu lado lendo tudo. Tmb digita no celular e joga melhor no tabler do que nós daqui dr casa. Bjs

  • Posted 29 de July de 2016

    niely galdino pessoa

    oi ,tenha duas filhas uma tem 6 anos a Nicoly e só a Rebeca diagnosticada com microcefalia, ela tem 6 meses e difícil acreditar no começo ,mas amo as duas igualmente e tento ser a melhor mãe possível,
    pois o que importa e o amor e familia e benção do SENHOR .

  • Posted 30 de July de 2016

    Thays luzia santana

    Tenho um bebê lindo portador da síndrome de Dawn,faz fono,musicoterapia ,jogos nossa a cada dia aprendo mais com ele e sobre ele eu vivo o José a cada segundo eu amo esse bebê lindo que Deus me deu de presente um presente digno de uma rainha obg meu Deus por meu filho lindo, obg José por ter me escolhido te amo bebê.

    • Posted 30 de July de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Parabéns pelo seu bebê e por sua gratidão também! Seja bem vinda, Thays! 💕🌷

  • Posted 15 de November de 2016

    Luiza neves

    Meu filho é lindo inteligente pra tudo mas não consegue se alfabetizar.. Fico. Meio apavorada… Mas estou na luta..irei vencer acredito muito nele

    • Posted 15 de November de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Acredite nele, ele aprenderá sua maneira, a seu tempo. Já demos algumas dicas para a família ajudar no processo de alfabetização também. Dá uma olhadinha aqui no site! Beijos 🌷

  • Posted 17 de November de 2016

    Milene Pereira

    Sou mãe de Camille Aparecida ela tem Parelesia Cerebral e tem atraso no desenvolvimento cognitivo, vivemos uma eterna luta, mas hoje aos 10 anos ela já apresenta uma grande evolução, graças a Deus as terapias e nossa família. Amei seu trabalho gostaria muito de participar do grupo

  • Posted 21 de November de 2016

    Cris

    Meu filho está sendo diagnosticado como TDHA, está em terapia com psicóloga, passará no neurologista dia 24 e psiquiatria ainda não agendei, estou um pouco assustada. Você poderia me conotar sua experiência por email?

    • Posted 22 de November de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Olá Cris! Vou entrar em contato com você assim que possível, ok? Um beijo e seja bem vinda!

Responder