Compreendendo o aluno com autismo

Ensinar um aluno com autismo pode ser um desafio, em todos os sentidos. Não é fácil, requer dedicação contínua do professor. É necessário repensar toda a metodologia educacional, refazer aquele planejamento que sempre deu tão certo, tentar visualizar outras formas de estruturar o ensino.

Poder enxergar os aprendizados e a evolução da criança é uma das coisas mais gratificantes que existe. Mas como encarar o desafio da educação de um aluno com autismo, sem ter sido capacitado e sem receber a estrutura adequada que essa criança precisa? Talvez esse seja o desafio maior.

Compreender as características deste aluno especificamente pode ajudar muito. Conhecer o autismo e conseguir identificar quais podem ser os pontos fortes e fracos da criança. Ter em mente que cada pessoa com autismo é única, então nem sempre o que funcionou com aquele aluno do ano passado funcionará com este.

O que é importante identificar:

  • O grau de comprometimento.
  • Se que a criança consegue se comunicar e de que forma.
  • Ela precisa de algum material adaptado?
  • Como é seu processamento sensorial? Quais sensações podem lhe causar incômodos? Barulhos? Cheiros? Toques?
  • Ela consegue utilizar o banheiro? Faz isso sozinha?
  • Como agir se ela chorar? E se tiver uma crise nervosa?
  • Ela faz uso de medicações?

É também essencial que haja um bom relacionamento entre o professor e os pais. E que a comunicação seja diária. Se ela não se alimentou bem na escola, a família precisa saber. Se ela não dormiu bem à noite, o professor precisa estar a par. É uma parceria, um lado ajudando o outro.

O ponto mais importante é compreender a pessoa que existe à frente do autismo. É um ser humano tão capaz de aprender quanto os outros alunos. Essa confiança tornará possível todo o processo de aprendizagem. Nenhuma limitação é insuperável!

“A única maneira de descobrir os limites do possível é indo além deles, ao impossível.”

Arthur Charles Clarke

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

Responder