Violência sexual e a infância roubada

Pensa em um tema difícil de falar… cruel de se imaginar! Porém, é uma realidade mais comum do que se imagina.

Todos os dias, crianças de todas as idades (inclusive bebês) são abusadas sexualmente. Os efeitos deste tipo de violência vão muito além da infância. Destrói-se a auto estima, a confiança, os sonhos. Pode levar à ansiedade, depressão, tentativas de suicídio e outros problemas emocionais graves. Seu efeito é devastador! E na maioria dos casos é feita por alguém próximo da criança, alguém acima de qualquer suspeita.

DADOS ALARMANTES

Segundo dados do Ministério da Saúde (2014):

  • 40% das crianças abusadas têm entre 8 e 14 anos;
  • Em 65% dos casos, o abusador é alguém da família (pai/padrasto/tio);
  • 1 em 4 casos envolve uma criança de até 1 ano de idade;
  • É o segundo tipo de violência mais comum em crianças até 9 anos.

SINAIS DE ALERTA

Qualquer criança pode estar sendo vítima! Dificilmente ela contará, seja por medo ou vergonha. Fique atento a estes sinais:

  • pesadelos, problemas de sono;
  • relutância para sair de casa ou frequentar algum lugar;
  • comportamentos reclusivos;
  • agressividade;
  • insegurança;
  • alterações súbitas de comportamento ou de humor;
  • medo inexplicável;
  • sinais físicos (dor, hematomas, doenças sexualmente transmissíveis);
  • vocabulário novo para partes do corpo ou expressões pejorativas;
  • brincadeiras envolvendo gestos com conotações sexuais.

COMO PROTEGER NOSSOS FILHOS?

  • Manter uma relação de confiança com a criança, com abertura para o diálogo;
  • Orientar a criança (durante o banho, por exemplo) os locais onde ninguém pode tocá-la;
  • Estar atento a quaisquer mudanças no comportamento.

É praticamente impossível determinar o tamanho verdadeiro do problema. Em muitos casos, a criança não conta por sentir medo, vergonha ou estar sendo ameaçada. Em muitos outros, a família opta por esconder o fato por ser o abusador um integrante da família. E as vítimas permanecem desamparadas.

Proteger as crianças é nossa obrigação. Não fique calado! Dique 100 e denuncie!

Por Amanda Puly


O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. As crianças, pelo seu estágio de desenvolvimento, não são capazes de entender o contato sexual ou resistir a ele, e podem ser psicológica ou socialmente dependentes do ofensor. O abuso acontece quando o adulto utiliza o corpo de uma criança ou adolescente para sua satisfação sexual. Já a exploração sexual é quando se paga para ter sexo com a pessoa de idade inferior a 18 anos. As duas situações são crimes de violência sexual.

Artigos Relacionados

Responder