Dicas para alfabetização de crianças com autismo

A alfabetização é uma etapa muito importante na vida de uma criança. Ela começa a entender melhor tudo que a cerca. Porém, é um processo cujo tempo de duração e grau de dificuldade varia muito em cada uma. Em especial, crianças dentro do espectro autista precisam de atenção e cuidados diferenciados.

Aqui deixamos algumas dicas que podem ser muito úteis para os pais e professores de crianças que estão vivenciando esta etapa:

  • Manter o ambiente organizado, livre de outros estímulos (visuais, auditivos, olfativos, etc).
  • Posicionar a criança o mais próximo possível do professor, para que ele certifique-se constantemente que ela está atenta.
  • O trabalho individualizado funciona melhor. Então, fazer um reforço em casa ou na própria escola, em paralelo ao que foi trabalhado em sala de aula pode auxiliar muito.
  • Utilizar materiais concretos, como alfabeto móvel (letras de EVA ou madeira, por exemplo), que podem ser sentidos.
  • Sempre que possível, relacionar o aprendizado com as vivências da criança: nomes de pessoas, rótulos do seu dia a dia, livros que goste, jogos (memória, bingo de letras ou palavras, etc), placas na rua, receitas, são alguns exemplos.
  • Se a criança possuir interesse específico (como carros, dinossauros, aviões, etc), utilizá-lo para atrair seu interesse.
  • Explorar as repetições, rimas e música para que a criança memorize melhor o que está sendo aprendido.
  • Faça metas menores, atividades mais curtas, dê um prazo maior para que a criança termine. Cada criança tem seu tempo, e esse tempo precisa ser respeitado.
  • Utilize o reforço positivo sempre que uma meta/etapa for concluída. Pode ser um elogio, um carimbo, uma figurinha, etc.
  • Escola e família precisam trabalhar juntas. O professor deve estar em contato diário com os pais, informando quais letras/sílabas/palavras estão sendo trabalhadas para que haja uma parceria no ensino.
  • A mais importante das dicas: acreditar no potencial da criança. Todas são capazes de aprender! Algumas terão mais dificuldades, podem demorar mais. Mas paciência, amor e persistência são as palavras de ordem.

Apesar das crianças com autismo terem direito à inclusão no ensino regular, é necessário que a escola e seus professores estejam preparados para recebê-las. Colocá-las na escola não basta, é necessário garantir que elas permaneçam e se desenvolvam com respeito e qualidade!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

1 Comentário

  • Posted 19 de Fevruary de 2017

    Sandra Regina da Silva Nascimento

    Eu não me conformo, de ver as outras crianças sendo alfabetizadas, sabendo ver um calendário, tendo noção de tempo espaço, compreendendo um texto, uma estória contada pela professora, tendo noção de quantidade, de maior, de menor, e etc….. é o meu filho, alheio a tudo isso na sala de aula, é a professora me dizer, que pra ela ele está bem, eu acho que elas pensam assim, que por ele ser autista, ele não precise aprender, compreender, e temos que aceitar, eu não aceito, é quero desesperadamente alfabetizar meu filho, pois sei que ele é capaz e que eu só tenho que achar o caminho certo

Responder