Autismo: a importância de acreditar

Quando levei meu filho para a primeira consulta com o neurologista, já desconfiando do autismo, ele era um menino recluso, que não falava e não tinha interesse social. Busquei muitas informações sobre o assunto e confesso que tive muito medo. Tudo que é novo gera insegurança, em especial quando é tão incerto. Hoje, aos 5 anos de idade, temos um quadro completamente diferente. E algo foi fundamental… Um dos profissionais que me atendeu me disse que eu conseguiria reverter esse quadro, que era possível, bastava minha dedicação. E eu passei a ACREDITAR.

 

Acreditei em mim, acreditei no meu filho, acreditei nas pessoas, acreditei em Deus. Ainda acredito, porque a cada dia surge um novo desafio.

Precisei abrir mão de coisas que considerava importantes, precisei adequar minha vida profissional, mas ter fé foi fundamental.

Tive fé que ele aprenderia a usar o banheiro, que aprenderia a se comunicar, que melhoraria sua compreensão, que diminuiria sua rigidez de pensamento, que aceitaria novos professores. Tenho fé que aceitará a nova escola, que irei compreendê-lo cada vez melhor, que o autismo ainda será seu grande aliado.

 

Acredito, tenho fé! Porque quando a gente acredita, não desiste. Pode até desanimar, mas persiste porque sabe que dará certo no final.

Meu filho se desenvolve feliz, porque eu tenho fé nele. E nada é mais importante que isso!

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

8 Comentários

  • Posted 5 de Fevruary de 2016

    Sandra Sousa

    Lindo …. eu também tenho fé que meu pequeno Felipe de 3,5 anos se comunique e desfralde.

    • Posted 5 de Fevruary de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Obrigada Sandra! É isso mesmo, quando a gente acredita, acontece! Beijos

      • Posted 6 de Fevruary de 2016

        Elane Aguiar Marques Duarte Coelho

        Hoje é com muita alegria que conto sobre meu filho Enzo de quase 6 anos… Aos 3 anos recebi o diagnóstico de autismo do meu filho… Ele teve um bom Nero pediatra por um bom tempo…. aprendemos a lidar com o autismo… O Enzo não fala ele se comunica por gestos… Hoje posso dizer que ele evoluiu 90%… Com certeza foi mais que o esperado…. Ele se comunica limitado pois ainda não consegue manter diálogo. .. Mais entende e até interage muito mais que o normal… pensei que ele estivesse até saído do espectro… Mais não a neurologista disse que não mais a minha perseverança e tratamento que buscamos fez ele evoluir muito…. Por isso estou sempre lendo e procurando mim informar mais cada dia… lutem não desistam pos para Deus nada é impossível…

        • Posted 6 de Fevruary de 2016
          Amanda Puly

          Amanda Puly

          Olá Elane! Isso mesmo, como é bom ler depoimentos assim! Quanto à comunicação do Enzo, você já tentou utilizar o PECS? Eu estou justamente escrevendo duas postagens para os próximos dias sobre comunicação. Acompanhe, amanhã sairá uma introdução sobre o tema e na próxima semana sobre métodos alternativos de comunicação. Beijos

  • Posted 7 de Fevruary de 2016

    Helen Barbosa Cordeiro

    Sandra eu também tenho Fé.. Meu Especial Pedro José tem 8 anos e está em uma fase que tudo de bom é estar em casa..pois quando está em público não consegue se adotar, fica muito agitado, ansioso. Amooooo demais cada dia uma descoberta. Estou feliz pois a escola Amarelinhas, está me ajudando e disposta a lutar em quando pode comigo. Por isso Graças dou a Deus por sua vida e sei que sou ou somos Escolhidos.

  • Posted 20 de Fevruary de 2016

    Diozelene pinheiro

    Diozelene pinheiro
    Profa. Ed. Física

    Tbm acredito muito no potencial do meu João Davi autista descoberto aos três anos o menino mais lindo do mundo hoje c 9anos estuda faz hoje o 4ano em uma escola regular claro, q ele tbm nós enfrentamos muitas dificuldades rejeições, mais o amor sempre mais forte.
    Se alimenta e dorme bem já compreendemos sua fala, ele parou de na terceira pessoa consegue manter uma conversa adoro eletrônicos ele é demaissss lindo lindo minha vida minha razão de viver…

  • Posted 10 de Dezember de 2016

    Daniela

    Tenho fé, mas é difícil não desanimar. Meu filho tem 3 anos busquei e confirmei o diagnóstico com 1a e 11 m começou logo com fono,T.O e esse ano começou a musicoterapia. Hj ele está melhor socialmente, mas não fala,nao atende nem entende os comandos só os imperativos, tento usar as figuras como forma de comunicação, tentei o desfralde mas ele teve infecção urinária.
    Preciso ter fé, preciso me sentir motivada, preciso acreditar as vezes o desânimo vem ,mas tento manter o foco e não deixar que fatores negativos me dominem.

    • Posted 10 de Dezember de 2016
      Amanda Puly

      Amanda Puly

      Daniela, ele é tão novinho ainda,tem um mundo de possibilidades! Não desanime, seja perseverante. Ele precisa muito de você! Boa sorte e conte com a gente! 🤗

Responder