Informação visual, por favor!

Pessoas com autismo são pensadores visuais. Diferente das mentes neurotípicas, que pensam por linguagem, a mente autista pensa por imagens.120088-425x282-Autism_communication

A primeiras palavras que a criança com autismo aprende estão relacionadas a substantivos que podem ser concretizados. E é por essa via que devemos iniciar o estímulo da comunicação.

A criança com autismo pode demorar mais a formar frases, mas pode expandir o vocabulário muito rapidamente. Isso porque consegue associar palavras a imagens.

Apoiar instruções orais com pistas e símbolos visuais pode ajudar a criança a entender melhor o que está sendo dito. Quanto estamos estimulando o desenvolvimento da linguagem utilizamos a imagem concreta, isto é, seguramos o copo na mão e dizemos “água”. Quando a criança já conseguir pedir coisas verbalmente, é o momento de incluir outras palavras, como “quero água” ou “você quer água?”, sempre associando a fala a um objeto ou imagem.

A informação visual é a chave para a comunicação e para desenvolver o aprendizado dos autistas. Para ensinar conceitos ou até matemática, é ideal utilizar métodos visuais concretos, ou seja, sempre associar a figuras, blocos, objetos. Quando a criança aprender a ler, anote sempre instruções ou sequências que a ajudem na memorização.

Os suportes visuais podem ser utilizados:

  • Na organização da rotina da criança, através de horários, cronogramas ou calendários, com colagem de imagens coloridas que representem as suas atividades.
  • Nas instruções para tarefas ou comandos específicos, como comer, sentar, dormir, etc.
  • No apoio das regras básicas de comportamento, como não gritar, não bater, não brigar, dividir os brinquedos, etc.
  • No desenvolvimento de habilidades sociais, através da ilustração de histórias de deem pistas sobre o comportamento esperado em determinadas situações.
  • Na comunicação da própria criança, para que tenha uma forma de comunicação alternativa, mesmo que não consiga comunicar-se verbalmente. Por exemplo, “preciso de um tempo”, “estou cansado”, “estou com fome”, “gostei disso”, etc.

Para uma pessoa com autismo a linguagem verbal pode ser confusa, como quando ouvimos uma língua estrangeira. Por isso, utilizar frases curtas associadas a imagens é mais eficaz. Lembre-se que está lidando com um cérebro diferente, que é capaz de aprender como qualquer outro, mas por meios diferentes.

Por Amanda Puly

Artigos Relacionados

2 Comentários

Responder