Quando a mãe não consegue amamentar

Por Paula Puly

Todas nós já ouvimos e lemos bastante sobre a importância da amamentação. O Clube Materno apoia e irá continuar apoiando essa prática. Mas hoje quero falar um pouco sobre o outro lado da história. Sobre as mamães que não conseguiram amamentar ou amamentaram muito pouco. Para escrever sobre isso, conversei com várias pessoas e li bastante. Após essa pesquisa (aliás, durante) percebi que esse assunto PRECISA ser tratado mais vezes e com mais sensibilidade.

“Ele está mamando no peito?”  Perguntinha difícil para algumas mães!

Sim, o leite materno é extremamente importante para o bebê. E por isso a família e a sociedade se sentem no direito de cobrar da mãe que teve ou está tendo problemas nesse processo. Como se a auto-cobrança já não fosse o suficiente para ela. Como se a culpa que ela sente já não fosse suficientemente dolorosa. Como se ela não tivesse se preocupado o suficiente. Quando a gente está grávida, dificilmente se prepara pra não amamentar, ou pra enfrentar dificuldades com isso. Pelo contrário, muitas preparam (de várias maneiras) o seio durante a gestação e sonham com o momento de poder alimentar seu bebê com o próprio corpo.

Amamentar um filho é lindo, é maravilhoso! Mas dói, machuca uma parte bastante sensível da mulher. E para algumas, depois de muito tentar (sim, muito! Quem vê – com olhos de reprovação – uma mãe alimentando seu bebê com a mamadeira não faz ideia do quanto ela tentou) e ver seu bebê chorando, sem ganhar peso, a melhor alternativa é optar pela fórmula e admitir que chegou ao seu limite.

81266744

Mais uma vez, antes que me reprovem, repito que sou a favor do aleitamento materno e do incentivo à amamentação. Amamento minha segunda filha e apesar das dificuldades que enfrentei (e já relatei aqui), também amamentei a primeira. Mas não concordo, de forma alguma, que uma mãe deva sentir-se menos mãe, ou deva ser considerada egoísta por não conseguir.

Ao amamentar no peito com amor, cria-se um laço eterno entre mãe e filho. Mas ao dar a mamadeira para o seu filho no colo, com carinho, a mamãe também está criando um laço valioso e eterno com seu bebê. E com o tempo, as formas de criação de vínculo entre a mamãe e o bebê multiplicam-se. Quando há muito amor, carinho e cuidado essa (MÃE e FILHO) é a relação mais especial e maravilhosa que pode existir entre os seres humanos.

Menos julgamento e mais respeito! É um bom desafio para hoje (e amanhã, semana que vem…).

Artigos Relacionados

4 Comentários

  • Posted 3 de Agoust de 2015

    tostesraphael

    Perfeito. E veja, puxando a “brasa para minha sardinha”, a figura do pai também é importante neste momento, seja resguardando a intimidade da mãe que está exposta amamentando seu filho, seja contribuindo para que ambos estejam confortáveis, seja ainda substituindo a mãe ao dar mamadeira e outros alimentos para que ela possa descansar…

    • Posted 3 de Agoust de 2015
      clubematerno

      clubematerno

      É isso mesmo, Raphael, ótima observação! O apoio do pai é extremamente importante! Obrigada por enriquecer nosso post!

  • Posted 25 de Settember de 2015

    Samia Mãe

    Muito bom o texto. Entendo a motivação das campanhas pró aleitamento materno, mas também precisamos acolher quem não consegue e fica se sentindo fracassada e julgada.

    • Posted 25 de Settember de 2015
      Clube Materno

      Clube Materno

      Isso mesmo, Samia! Obrigada pelo comentário e seja sempre bem vinda! Beijos

Responder