Voltar ao trabalho, uma difícil decisão.

Por Carol Puly

Ter um filho é, para muitas, a realização de um sonho. A gente curte cada fase da gravidez, cada descoberta, cada movimento da criança, tudo é encantamento. Pelo menos para mim foi assim.

Depois que eles nascem, as mamães tem um tempo pelo qual podem se dedicar inteiramente a eles. Durante a licença maternidade, criamos uma ligação única e muito forte com nossos bebês. É nesse período que conseguimos desenvolver (e muito bem) nossas habilidades como mães. A amamentação, o sono, o banho, todas as horas do dia giram em torno deles.

Porém, depois que este período acaba, muitas de nós temos que dar sequência em nossas carreiras profissionais, e retornar ao trabalho. É difícil desfazer este laço. Meu Deus, como deixar uma criaturinha tão pequena?

iStock_000019016864Small-workingmom-469x597Mas não adianta, às vezes não podemos abrir mão de um salário a mais no orçamento. É ele que ajuda a garantir o bem estar, saúde, alimentação, educação, e as contas pagas no final do mês.

O jeito é tentar se preparar com antecedência para esta “separação”.  Verifique com quem vai deixar o bebê no período em que estiver trabalhando. Pode ser sua mãe, irmã, amiga, vizinha ou até uma creche. O importante é ter confiança na pessoa ou local que ficará com esta responsabilidade na sua ausência.

Depois de escolhido, é interessante fazer um “teste” para ver como você e o bebê se comportarão. Tente deixá-lo por algumas (poucas) horas, e se ocupe com outra coisa. E repita por mais alguns dias. Para que a criança se sinta melhor, é interessante deixar objetos que lhe sejam familiares, como uma pelúcia que goste, ou um cheirinho, além dos outros objetos que irá precisar.

Por experiência própria, essa separação é muito difícil. Mas, depois de certo tempo, tudo entra nos eixos, e esta nova realidade passa a fazer parte da nossa rotina.

Artigos Relacionados

Quando os filhos voam…

Quando os filhos voam…

Eu queria ter uma máquina do tempo para voltar na época em que meu primeiro filho era pequeno. Na verdade não sei explicar como ele pôde crescer tão rápido… Mas queria poder desfrutar de suas mãozinhas gordinhas novamente, vê-lo amar tomar...

Responder